niemeyer


Homenagem ao Mestre

“Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein.  

Oscar Niemeyer

 

No final do ano passado, o mundo perdeu um gênio, uma inspiração, um grande mestre. Selecionamos comentários de importantes arquitetos sobre sua vida e obra.

 

“Para os arquitetos criados pelo movimento moderno, Oscar Niemeyer posiciona-se no mais alto grau de sabedoria. Invertendo o ditado familiar de que ‘forma segue a função’, Niemeyer demonstrou que ‘quando a forma cria beleza, ela se transforma em funcional, e, portanto, fundamental na arquitetura’. Dizem que Iuri Gagarin, o pioneiro cosmonauta russo, visitou Brasília e comparou a experiência com aterrissar em um planeta diferente. Muitas pessoas quando vêem a cidade de Niemeyer pela primeira vez devem sentir o mesmo. É audaciosa, escultural, colorida e livre – e não se compara a nada que se tenha feito antes. Poucos arquitetos na história recente têm sido capazes de convocar tal vocabulário vibrante e estruturá-lo em tal linguagem tectônica brilhantemente comunicativa e sedutora.”

Sir Norman Foster

 

“Oscar Niemeyer é um poeta do espaço, um arquiteto-escultor que pensa e organiza o espaço habitado num diálogo fecundo com a natureza. A curva, a ondulação, o côncavo e o convexo, tudo isso faz parte de seus desenhos. É como se a sinuosidade da natureza fosse repensada e reinventada pelos traços do arquiteto, cujo pensamento ou concepção da arte nunca separa o ser humano do ambiente em que vive. A ousadia da forma parece desafiar a engenharia e o cálculo estrutural, mas é essa ousadia que dá a seus projetos um sentido plástico singular na arquitetura do século 20.”

Milton Hatoum, escritor

 

“Se é certo – como acredito – que nós, homens, inventamos a vida, o mundo imaginário em que habitamos, Oscar Niemeyer é um dos que mais contribuíram para isso, inventando uma arquitetura que parece nascida do sonho e, com isso, nos ajuda a viver.”

Ferreira Gullar, poeta e escritor

 

“Oscar é um dos grandes gênios do nosso tempo. Sua incrível capacidade de criação não se apóia em teorias nem na estética vigente, mas na intuição, na lógica da natureza, no instinto das mentes privilegiadas dos gênios. Por isso, sua obra é capaz de emocionar qualquer ser humano, independentemente de sua formação intelectual ou categoria social. As colunas do Palácio da Alvorada, por exemplo, causaram tão forte impressão em André Malraux que ele comparou sua contribuição à arquitetura a das colunas gregas. Mas elas foram igualmente absorvidas e estilizadas pelo povo em geral – seu desenho pode ser observado em toda parte e continua a ser utilizado como símbolo da nova capital.”

João Filgueiras Lima, Lelé, arquiteto

 

“Oscar, quando me formei em 1949 pela Faculdade Nacional de Arquitetura, você representava o símbolo e expressão da arquitetura brasileira. Hoje, quando completa cem anos, continua sendo. Parabéns.”

Acácio Gil Borsoi, arquiteto

 

“Oscar Niemeyer tem o raro talento da longevidade criativa e intelectual, o que representa muito mais do que o feito já notável de completar 100 anos e em atividade. Niemeyer construiu um percurso baseado na especulação da visibilidade das estruturas e das formas, em sua relação com a espacialidade, e sobre ele abriu uma porta que ao que parece jamais será fechada. Sua importância para a história da arquitetura moderna já está talvez sublimada pela influência que seu trabalho exerceu na própria arquitetura contemporânea, com paralelo identificável, talvez somente em Le Corbusier e Mies Van Der Röhe. Certa vez, Chico Buarque de Holanda ao falar de sua obra musical, disse que esta já era uma obra pronta e só o que poderia fazer era reelaborá-la. Com sua frenética atividade ainda nos perguntamos: será que Oscar já completou a sua?”

Francisco Spadoni, arquiteto

 

“Um dia, comecei a ver o mundo a cada instante de um modo diferente. O que fazer? Tornar-me um sonhador ativo? Um arquiteto brasileiro? Como para muitos, Oscar Niemeyer me abriu os olhos. Ele mostrou como a arquitetura poderia, apurando-se, aliar no mais alto nível o racional e o sensível, o rigor e a forma.”

Christian de Portzamparc, arquiteto

 

“Oscar Niemeyer para mim é uma espécie de poeta de arquitetura. Livre, leve, sinuosa, genuína e elegante, a sua arquitetura tem uma sensualidade e uma brasilidade únicas. Saint Exupéry dizia: ‘É útil, porque é bonito.’ Assim é a arquitetura do Oscar Niemeyer (como todos nós, arquitetos, o chamamos carinhosamente pelo seu prenome e não pelo seu nome profissional). Paul Valéry dizia: ‘Muitos prédios são silenciosos, mas alguns cantam’ e os do Oscar Niemeyer têm uma música própria e linda. Eu o definiria e a seu trabalho como imortais (como todos os grandes e atemporais).”

Índio da Costa, arquiteto e designer

 

“Viva Oscar Niemeyer. Artista genial. Realizador notável. Construtor de palácios celestiais e casas para a felicidade. A beleza não é segredo para ele. Sua obra se confunde com a própria cultura brasileira. Viva Oscar Niemeyer, um dos maiores arquitetos de todos os tempos.”

Mario Biselli, arquiteto

 

“Por anos, sentindo sempre uma grande emoção, procurei compreender o mistério de Oscar Niemeyer. Paisagem, erotismo, ética; empenho político e social; afeto e fidelidade aos amigos de sempre; a música brasileira, Rio de Janeiro visto de seu escritório. Creio que a alquimia que Niemeyer criou ficará com tudo isso, junto ao desejo de ser sempre parte de um processo e de empenho civil. Nunca desejei me parecer com nenhum arquiteto, a não ser com Oscar Niemeyer.”

Massimiliano Fuksas, arquiteto



 

 

 

Assine Nossa Newsletter


Please wait...